PREFÁCIO - Talvez nem todas essas 100 histórias sobre Michael Jackson, sejam totalmente verdade. Mas certamente elas não são totalmente mentira ! Durante 50 anos de vida e 40 anos de carreira, Michael Jackson conheceu e conviveu com milhares de pessoas e encantou à todas elas. Cada uma dessas pessoas tem uma história inesquecível para contar, sobre Michael. Aqui estão algumas dessas histórias, que foram recolhidas ao longo de muitos anos. Assim como sua música, a personalidade de Michael Jackson, também é genial ! Voltar para MJ Planet

- David Nordhal fala de MJ




SANTA FE/ USA - O artista David Nordahl estava pintando em casa - em fevereiro de 1988, quando o telefone tocou à meia-noite. Uma voz disse: "Eu sou Michael Jackson." Sim, pensou ele. Mas ele rapidamente percebeu que a chamada não era brincadeira. "Ele me perguntou se eu ensinaria para ele, desenho e pintura", disse Nordahl, "Eu lhe disse que não, mas que eu ia pensar nisso. Eu estava muito ocupado. "


A conversa de uma hora provocou uma estreita amizade e trabalho em parceria que levou Nordahl para uma clausura de anos em Neverland, como retratista de Jackson. De 1988 a 2005, Nordahl completou milhares de desenhos e cerca de uma dúzia de pinturas épicas, sete dos quais estavam entre os 2.000 itens de Jackson em leilão autorizado pela Julien. Nordahl, tornou-se não apenas o artista 'vivo' favorito de Michael (Michelangelo liderou o ranking histórico), mas um conselheiro confiável e confidente que viveu temporadas em Neverland e se juntou a passeios em família. Ele deixou de dar entrevistas a mídia há anos ", porque eles queriam apenas falar sobre coisas negativas, e eu não sei nada de ruim sobre Michael", disse o Nordahl.



Ele está falando agora na esperança de clarear a imagem escurecida, desde a morte de Jackson 25 de junho. "Eu sempre pensava nele como normal", diz ele. "Ele é a pessoa mais pensativa e respeitosa que eu já conheci. Em 20 anos, nunca o ouvi levantar a voz.



O período 'Nordahl /Jackson' começou depois que o cantor o convidou para a parada da turnê Bad março 1988. "Eu não sabia o que esperar", diz Nordahl. "Ele era doce. Fomos para as galerias, livrarias e uma exibição privada do rei Tut. Nós sentamos, conversamos e rimos muito. " Jackson demonstrou talento, mas era muito esclarecido, para prosseguir nas artes visuais. Em vez disso, os dois começaram ema eclosão de idéias para pintar. Ele trabalhou sem parar: retratos grandes, desenhos a carvão, uma placa no portão de Neverland. Nordahl faturou com Jackson e diz que sempre foi pago.



Eles realizaram viagens para a Disneyland e passaram um tempo na propriedade bilionária de Ron Burkle, em La Jolla, Califórnia, onde a insônia de Jackson muitas vezes significava que Nordahl seria convocado para horas de piadas e conversas à beira-mar. ( Nordhal também era uma vítima dos truques famosos de Michael Jackson, depois de encontrar sua mala sem suas roupas mas recheada com chicletes ).



Ele descobriu um Michael Jackson 'sem glamour', que no final dos anos 80 passou várias vezes por Michael num velho carro Chevy Blazer ( Nordhal conta que Michael fazia xixi em um balde, porque ele não correria o risco de ser assediado em postos de gasolina) e Michael morava em um apartamento de dois quartos em Los Angeles.



Quando fui vê-lo no apartamento de Los Angeles, me admirei: -"Eu esperava uma cobertura enorme e com muitas empregadas domésticas", diz Nordahl, mas não foi o que eu encontrei. "Havia um piano de cauda empurrado para dentro da cozinha, uma máquina de pipoca e um bom sistema de som. Os outros móveis, você não poderia ter pago mais que 50 dólares por eles em uma venda de garagem. Antes das crianças, Michael vivia muito simplesmente e gostava disso. "



"Eu cresci em uma casa difícil, e ele também", diz Nordahl, - "Nós não tivemos nenhuma brincadeira crescendo. Nós dois somos fanáticos sobre o trabalho. "Houve uma ligação." O que vi em Michael Jackson foi um gênio incompreendido, ferido e que se sentia espiritualmente obrigado a ajudar as crianças. "



Embora Jackson tenha sido absolvido em seu julgamento 2005 sobre abuso sexual infantil, que foi o que "quebrou o seu espírito", diz Nordahl. "Michael nunca molestou uma criança. Ele sempre se sentiu tão mal para com as crianças que foram maltratadas ou doentes. Ele passou tanto tempo com as crianças criticamente doentes. Se uma mãe o chamasse para falar sobre uma criança morrendo em algum lugar, ele saltava em um avião." "As pessoas falaram sobre Neverland como sendo o seu parque de diversões particular. Era mais um parque para as crianças.



Michael era um verdadeiro pai ' - "As pessoas o acusaram de tentar ser branco, o que é ridículo", diz ele. "Quando eu o conheci, seu vitiligo (uma doença de pele que provoca a perda da pigmentação) tinha ido para o lado direito do rosto e do pescoço para baixo. A maioria da mão direita estava branca, cheia de manchas brancas. Ele usou maquiagem, porque ele tinha que usar. Sem ela, ele estava salpicada por toda parte. "



Nordahl nunca presenciou o uso de drogas por Jackson, mas estava bem ciente dos problemas de dor que restou depois de seu cabelo pegar fogo em um anúncio da Pepsi.



"Quando eles estavam tentando consertar esse ponto queimado, ele tinha uma bolha sob seu couro cabeludo, que foi inflada", diz Nordahl. "Deixou-me impressionado. Era uma bolha enorme. A pele foi esticada, para cortar e costurar o couro cabeludo. Ele estava com uma dor excruciante. "



Jackson parecia ser um viciado improvável, diz Nordahl, observando que Michael tinha aversão de cigarros, álcool, refrigerantes e açúcar. "Ele era principalmente uma vegetariano", diz ele. "Quando ele estava em turnê, os cozinheiros só conseguiam fazer ele comer peixe e frango, às vezes. Ele amava as asas de galinha. Ele sempre bebeu muita água. Eu compartilhei com ele um pouco de vinho apenas duas vezes, uma com sua ex-esposa Lisa Marie e uma vez na casa de Ron Burkle. Michael tomou meia taça. "



A evidência mais clara da natureza responsável de Jackson surgiu com o nascimento de Prince, Paris e Blanket. "Michael era um verdadeiro pai, não um pai de Hollywood", diz ele. "Ele se levanta na noite para alimentá-los com mamadeiras. Ele trocava as crianças, dava banhos e tudo o que uma mãe faz." "Todo o tempo que passei com essas crianças, eu nunca ouvi-los implorar por alguma coisa ou ter um ataque de mimo. Eu nunca ouvi-los chorar. Elas eram tão bem-ajustadas. "



Jackson teve o cuidado de não estragar seus filhos, diz Nordahl, lembrando de uma festa modesta do oitavo aniversário de Prince em Los Angeles. (A mãe de Jackson, Katherine, e sua irmã Rebbie foram para a festa, mas não participaram das festividades por causa de suas crenças nas Testemunhas de Jeová, diz ele.) "Eu estava curioso para ver o que Prince iria conseguir", diz Nordahl. "Achei que iria ser uma festa muito extravagante, mas ele não conseguiu uma festa que custou mais de US $ 20.



"As crianças não foram autorizados a assistir TV ou DVDs ou jogar jogos de vídeo", exceto por meio de pontos conquistados por seu trabalho escolar. "Nada foi dado a eles. Michael disse: "Eu quero que eles cresçam o mais próximo possível do normal." Essas crianças eram tão respeitosas e doces. "



Nordahl cresceu perto de todos os três filhos de Michael. Normalmente, o artista passava um bom tempo com a prole Jackson na Costa Oeste. Mas ao longo do feriado do Memorial Day em 2004, Michael conseguiu surpreender Nordahl, visitando Santa Fé, num ônibus alugado. Jackson sugeriu que poderíamos ir com as crianças ao cinema. O shopping estava lotado e não havia lugar para estacionar. Levei as crianças a pé, compramos os ingressos e pipocas, e fomos nos sentar. Michael entrou depois que as luzes se apagaram.



"As luzes se acenderam e ninguém reparou nele. Ele usava um boné de beisebol e um pijama de seda chinesa azul. As crianças não usavam máscaras. Qualquer um desses fotógrafos teria pago US $ 100.000 por uma foto desse dia. "



Ele viu Michael pela última vez em 2005, quando o cantor se mudou para o Bahrein e jurou nunca mais voltar a viver em solo dos EUA. O destino das pinturas Notdhal não sabe como será: -"Eu gostaria de vê-las em um museu de Michael Jackson", diz Nordahl. "Isso sempre foi o objetivo de Michael. Ele era muito singelo, mas ele entendeu que ele era um ícone da música. "


"Fomos muito bons amigos que se me esqueci que eu estava trabalhando para ele", comenta Nordahl. "Então ele fazia esses movimentos de dança, rápidos como um relâmpago e ele queria que eu pintasse isso.Ele foi o melhor artista do mundo"

Um comentário: